Como Fazer um Planejamento de Obras Coerente: O Guia Definitivo

Você não se sente seguro em realizar um planejamento de obras completo de uma obra?

Acredita mesmo que planejar é algo complexo e não tem a mínima ideia por onde começar?

Se a resposta for sim, fique tranquilo, existe uma maneira bem mais simples do que você imagina.

Simples como seguir uma receita passo a passo para não ter mais dificuldades neste tema.

Fazer um bom planejamento de obras exige sim algumas habilidades do profissional de custos, vou citar algumas que acho importante mas não se assuste:

  • Ter organização;
  • Bom senso para antecipar imprevistos;
  • Capacidade analítica para ler e interpretar de maneira coerente os requisitos do projeto.

Também acredito ser importante desenvolver uma habilidade de trabalhar em equipe, já que você irá transitar em diversos setores da empresa como suprimentos, projetos e áreas externas.

Por fim, é preciso adquirir uma visão clara dos métodos construtivos da empresa para prever o andamento da obra antes de sua execução.

Comparo sempre o profissional de planejamento ao jogador de xadrez

É necessário que você  se antecipe em relação ao seu “oponente”, prevendo três, quatro ou cinco jogadas e depois defina uma estratégia para vencer.

E nem sempre, o estudante de engenharia consegue obter estas habilidades no início da carreira, o que torna este trabalho ainda mais complexo em sua cabeça.

O que muitos não sabem, é que não importa o tamanho, o tipo e muito menos o prazo da obra, TODAS sem exceção, seguem um mesmo padrão, uma mesma “receita de bolo”.

Neste artigo, vou te mostrar esta “receita” e você aprenderá o quão simples pode ser planejar uma obra.

Mas primeiro, você pode estar em dúvida, Gustavo, porque é tão importante aprender a planejar uma obra?

Vou dar um exemplo prático:

Com o auxílio de um bom planejamento de obras, o gerente pode ter uma análise rápida e precisa dos desvios na hora da execução no campo.

Assim, fica mais fácil mudar a estratégia e recuperar o prazo da obra, principalmente quando estes desvios são identificados na fase inicial do projeto.

Por isso, é muito importante que esse profissional realize de forma cuidadosa tanto o planejamento quanto o acompanhamento da obra.

Fora isso, o planejamento pode ajudar também no acompanhamento da obra, apontando como cada valor deve ser aplicado.

Como você já fez essa previsão no orçamento, fica fácil ajudar no gerenciamento da obra caso ocorram desvios de insumos de materiais, equipamentos ou mão de obra.

Se você retroalimentar este sistema de orçamento com as métricas medidas em campo, a empresa poderá entender a produtividade real da sua equipe.

Assim, terá um parâmetro para futuras obras e poderá evitar que sejam cometidos desvios e erros similares.

Dessa forma, esse profissional se torna essencial para a empresa, ganhando prestígio e reconhecimento.

Continue lendo esse artigo para aprender mais sobre o guia completo para realizar planejamento de obras..

E acredite, com esse conteúdo ficará fácil entender e planejar qualquer tipo de obra.

Poucos dominam esta área, e ter esse conhecimento pode proporcionar destaque na sua carreira.

Como entender quais atividades preciso executar na minha obra?

Nesta primeira etapa do planejamento, é importante definir todas as atividades da obra, sem deixar nenhum serviço para trás, caso isto aconteça a obra certamente ficará atrasada.

E a maneira mais prática e simples de entender quais atividades eu preciso executar na minha obra é por meio da EAP (Estrutura Analítica do Projeto).

Já falei sobre este tema aqui no blog, apesar de utilizar o orçamento como exemplo é possível ver como eu monto nossas estruturas aqui no escritório, veja o vídeo abaixo:

 

A grande vantagem em utilizar a EAP é por conta da sua facilidade de entender o projeto e corrigir se está faltando algum item da obra.

Existem outras maneiras de realizar esta etapa do planejamento com mapas mentais, utilizo muito também o Mindmeister que é um software que me ajuda a estruturar as aulas mas ainda recomendo fortemente a EAP.

O que determina a quantidade de tempo dos serviços

O produto final do nosso trabalho com esta receita do planejamento será elaborar um cronograma coerente e correto.

Para isso, precisamos saber a duração das atividades que acabamos de levantar com nossa EAP.

A duração é a quantidade de tempo em horas, dias, semanas ou meses que o serviço será executado na obra.

Existem algumas durações fixa, que não depende da quantidade de mão de obra ou equipamentos para execução, por exemplo: a cura do concreto.

Por outro lado, existem também as que dependem da quantidade de mão de obra e equipamentos, como por exemplo:

  • Serviço de alvenaria que pode ser realizado por 1 pedreiro em 30 dias;
  • Ou o mesmo serviço por 2 pedreiros em 15 dias.

Note que o trabalho total de 30 dias de pedreiro não muda, apenas diminui pela metade o prazo quando adicionamos mais uma mão de obra.

Nossa duração das atividades então irá depender da quantidade do serviço, da produtividade da mão de obra e da quantidade de recursos planejado no cronograma.

Agora, basta definir esta relação entre prazo/equipe que o nosso projeto necessita para cumprir com o custo e prazo definidos no orçamento.

Acredito ser uma das etapas mais importantes para o planejamento ser coerente, sem chutar o tempo que cada serviço terá para ser entregue a obra no prazo correto.

Como você já definiu os coeficientes de produtividade no orçamento, vamos ver como buscar estas informações nas composições através do vídeo abaixo:

A obra agora conta com uma integração entre orçamento e planejamento que serão fundamentais para obter métricas futuras para a saúde da empresa.

Precedência: A chave para um planejamento de obras coerente

Depois da EAP e da duração das atividades, agora precisamos definir a dependência entre os serviços, ou seja, quem vem antes de quem, basta se fazer esta pergunta para concluir esta etapa.

Aqui é necessário entender um pouco sobre a metodologia da obra ou ter um pouco de experiência em campo.

Caso você não tenha nada em mãos, peça ajuda aos profissionais mais experientes de campo ou veja nosso infográfico sobre a Sequência da Obra.

Agora, você pode analisar cada serviço e criar a sequência lógica das atividades.

Muito importante definir este passo junto com a equipe da obra para se ter uma estratégia bem definida e que se chegue a um consenso sobre a lógica construtiva. 

Se fizer isto, terá em mãos um plano de execução coerente e principalmente exequível que fará sentido para todos os envolvidos, um cronograma que realmente será utilizado e seguido pelos gerentes de obra.

Para cada serviço, são inseridas suas predecessoras, você pode realizar esta fase diretamente no Ms Project ou em tabela de sequências.

Com isso, uma atividade só por ser iniciada quando sua predecessora for concluída.

Abaixo um modelo retirado do livro: Planejamento e Controle de Obras – Aldo Dórea Mattos.

Repare na imagem, na coluna “Predecessora”, veja como a atividade B – Sapatas do subitem de Fundação, depende da atividade A – Escavação.

Isso quer dizer que o serviço de Sapatas só será iniciado após a conclusão da escavação.

Depois, no subitem Estrutura, a atividade C – Alvenaria, só será iniciada quando a atividade B – Sapatas terminar.

Esta etapa com a duração das atividades é a chave para se ter um bom planejamento, então trabalhe nestas etapas com o máximo de detalhes e clareza.

Um erro aqui e todo o trabalho terá sido em vão.

Diagrama de rede: A ferramenta perfeita para simulações

Depois da sequência lógica da obra, a próxima etapa é montar uma representação gráfica das atividades e suas dependências, fazemos isto, através do diagrama de rede.

Apesar de muita gente se confundir um pouco com o diagrama, ele vem para justamente para facilitar o entendimento da sequência da obra e começar a mostrar o nosso caminho crítico da obra.

Com o diagrama de rede é possível entender o projeto inteiro como um fluxo de atividades.

Ele permite a visualização clara da relação entre as atividades e serve como matriz para o cálculo do caminho crítico, tema importante e que estarei falando daqui a pouco.

Esta é uma ferramenta para análise de alternativas e para fazer estudos de simulações no planejamento, muito solicitado pelas empresas.

Os métodos mais comuns para montar o diagrama são os de flechas e o de blocos.

Método das flechas ou ADM (Arrow Diagramming Method), as atividades são indicadas por flechas ou setas, toda seta parte de um evento e termina em outro e não pode ter duas atividades com os mesmo par de começo e término.

Método dos blocos ou PDM (Precedence Diagramming Method), as atividades são indicadas por blocos ligados entre si por flechas onde mostra a relação de dependência.

 

Você escolhe a maneira mais fácil para enxergar as atividades do seu projeto, particularmente, gosto mais de utilizar a de blocos. 🙂

Atrase ou antecipe sua obra com o caminho crítico

Com nossa rede pronta, agora precisamos calcular a duração total do projeto.

A sequência do diagrama de rede que exige mais tempo é a resposta para o cálculo do prazo total da obra.

E para estes serviços ou atividades é que chamamos de atividades críticas e o caminho percorrido por elas, de caminho crítico.

Então, se por algum motivo adicionarmos alguma atividade não prevista neste caminho, logicamente nosso prazo total da obra será aumentado ou se perdermos algum dia de atraso nestes serviços.

O mesmo vale se ganhamos tempo nestas atividades, iremos reduzir o prazo da obra.

Você deve ter percebido que monitorar e acompanhar de perto estas atividades é umas das mais importantes funções do engenheiro de custos.

Pelo método das flechas calculamos da seguinte maneira:

Ao primeiro ponto, atribui a data zero, que está logo abaixo do primeiro círculo.

Depois, para cada serviço, você soma a duração da origem. Se chegar duas origem ou mais flechas a uma mesma atividade, mantém a mais alta.

No exemplo da imagem, o prazo total da imagem é de 18 dias, o caminho que define o prazo total é o A-B-E-G-H.

As atividades críticas portanto são:

  • Escavação
  • Sapatas
  • Instalações
  • Revestimento
  • Pintura

Já o método dos blocos é bem parecido, o que muda é que as datas são indicadas no próprio bloco. Na imagem temos o mesmo caminho crítico da de flechas, pintado em vermelho.

Como é uma etapa importante para o seu planejamento, vamos revisar juntos algumas observações do caminho crítico:

  • O caminho crítico mostra as atividades críticas e que devem ter um monitoramento constante.
  • Ele é o caminho mais longo da nossa rede.
  • Qualquer atraso nestas atividades, o prazo total da obra será prolongado.
  • Para você diminuir o prazo total da obra, basta reduzir o tempo destes serviços.

O produto final do planejamento: Cronograma da obra

E por último mas não menos importante, nosso cronograma da obra!

Geralmente representado pelo gráfico de Gantt, é uma importante ferramenta de gestão de projetos, porque facilita a leitura da posição de cada atividade ao longo do tempo.

É possível utilizar algumas ferramentas para gerar este relatório mas sem toda a base que você viu até aqui neste artigo, o software não irá planejar a obra pra você.

Por isso é fundamental entender sobre cada etapa que passamos até aqui e como gerar este produto final de maneira coerente e próximo da realidade.

Caso contrário, os cronogramas não são utilizados nas obras, atrasos são corriqueiros e gera um descrédito muito grande pelos profissionais de planejamento e de campo.

Veja um exemplo de um cronograma na imagem abaixo:

O mesmo prazo final da obra está sendo obedecido pelo relatório, apontando para 18 dias, os serviços críticos neste caso, estão todos grifados em preto para indicar a sua importância no projeto.

Você pode ver o prazo de cada atividade pelo seu valor na barra de tempo, algumas empresas adotam duas barras, de previsto vs realizado.

Dessa forma, tentam mantém um hábito de indicar manualmente o andamento da obra.

Conclusão

Elaborar um planejamento coerente não é fácil, mas pode sim ser simples.

Todo planejamento terá que seguir esta “receita de bolo” que vimos ao longo deste artigo.

Mesmo que comece sem experiência, existe uma vantagem competitiva que pode fazer você se destacar na sua carreira.

E essa vantagem se chama habilidade técnica.

Ler um artigo sobre esse assunto me mostra que você tem interesse na área e está buscando por conhecimento.

Parabéns por ter chego até aqui e continue com esta busca ao longo da sua carreira.

O sucesso exige mais.

Gostou do artigo?

Eu adoraria saber a sua opinião sobre o post através de um comentário logo abaixo.

E caso ele tenha sido útil para você, aproveite para compartilha-lo com um amigo que precise de dicas como essas para colocar em prática conceitos de planejamento de obras.

E será uma grande honra contar com você para ajudar mais pessoas.

Forte Abraço e até o próximo artigo! 🙂